Igualdade para alguns | O Projeto Infância Transformadora | UNICEF

Discriminação

Igualdade para alguns

As atitudes em relação aos direitos das pessoas LGBTQIA+ mudaram rapidamente em muitos países nas últimas três décadas, mas a discriminação persiste.

Conduzimos uma pesquisa entre jovens de 15 a 24 anos e adultos com mais de 40 anos em 21 países para explorar como a infância está se transformando.

Leia mais sobre a pesquisa
Mais pessoas de 15 a 24 anos dizem que o tratamento igual para pessoas LGBTQIA+ é muito importanteMais pessoas de mais de 40 anos dizem que o tratamento igual para pessoas LGBTQIA+ é muito importante

Embora as atitudes em relação à discriminação contra mulheres e minorias étnicas, raciais e religiosas não divirjam claramente entre as gerações, elas divergem quando se trata dos direitos das pessoas LGBTQIA+.

Aqui, vemos jovens expressando significativamente mais preocupação com a igualdade de tratamento do que pessoas mais velhas em quase todos os países pesquisados — e, no processo, impulsionando mudanças positivas.

Grandes diferenças de gerações são aparentes em diversos países...

… do Japão…

… para a Espanha…

… para o Quênia…

… para o Peru.

Entre os jovens, quem você acha que expressa mais apoio à igualdade de tratamento das pessoas LGBTQIA+?

Responda à pergunta acima para saber mais sobre a natureza transformadora da infância.

Voltar à questão
% que dizem que o tratamento igualitário para pessoas LGBTQ + é muito importante
Mulheres jovens
55%
Homens jovens
45%

Em média, as mulheres jovens são mais propensas do que os homens jovens a dizer que o tratamento igual de pessoas LGBTQIA+ é muito importante em cerca de 10 pontos percentuais.

De todas as perguntas da nossa pesquisa, essa revela a maior diferença entre os gêneros na geração jovem.

Essas descobertas refletem outros resultados de nossa pesquisa: as mulheres jovens em geral expressam uma maior preocupação com a igualdade de tratamento e com a luta contra a discriminação do que os homens jovens.

Como podemos incentivar mais homens jovens a fortalecer seu apoio à igualdade?

Compartilhe esta história

Saiba mais sobre este aspecto de como a infância está se transformando.

DiscriminaçãoDe olho na igualdade